TEMPOS CAÓTICOS EXIGEM MEDIDAS IMEDIATAS. RISCOS, TELETRABALHO E A LGPD, O QUE FAZER AGORA?

Desconsiderando as atuais questões políticas e sanitárias provocadas pelo coronavírus, focando no ambiente corporativo e tendo em vista que o nosso Brasil não pode parar, mas precisa adequar-se ao momento atual – mantendo os serviços fundamentais e movimentando a economia dentro do possível – é fato observado que muitas pessoas estão em teletrabalho (trabalho remoto ou home office) imbuídas deste espírito de superação.

Quando a covid-19 começou a ser detectada no país, em pouco tempo se instalou um ambiente caótico. Com poucas informações e pouca experiência a respeito de doenças que se espalham tão rapidamente e, ainda, com a demora da OMS em declarar o caso do coronavírus uma pandemia, ficamos (e não apenas o Brasil) desguarnecidos em relação a boas práticas e a protocolos para lidar com tal situação.

Uma das primeiras medidas de boa parte das organizações foi colocar os colaboradores em teletrabalho em resposta à chegada do vírus, uma resposta acertada na minha visão. No caos não há tempo para planejar, pesquisar, pensar, testar… As medidas precisam ser tomadas urgentemente. Não sendo eficazes, eficientes ou efetivas, tomam-se novas medidas em substituição ou em complemento à primeira. Prejuízo maior será verificado caso se apresente uma demora ao agir.

Leia a íntegra no anexo.

Publicações recentes

A inexigibilidade de licitação pautada na notória especialização do profissional ou da empresa no Sistema S

Por:

Os novos Regulamentos para Contratação e Alienação do SESI e do SENAI estabelecem: “Art. 8º. O processo de seleção sem […]

10 de junho de 2024

A Lei 14.133/2021 e a participação de empresas reunidas em consórcio em licitação

Por:

Em preliminar importa observar que consórcio, para fins de licitação, se consubstancia na união transitória de duas ou mais pessoas […]

4 de junho de 2024

Sistema S e o cabimento da adoção dos regimes de execução de contratação integrada e de contratação semi-integrada

Por:

Os Regulamentos de Licitações e Contratos do SESCOOP, SENAC, SESC, SENAR, SENAT e SEST[1]  preveem: “Art. 4.º Para os fins […]

13 de maio de 2024